sexta-feira, 15 de agosto de 2014

RESUMO: POR AMOR E POR FORÇA: ROTINAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Barbosa, Maria Carmem S.


Neste livro, Maria Carmem estuda a rotina na Educação Infantil, desde sua vertente histórica à vinculação autobiográfica que o tema tem com a autora. Assim ela inicia o livro contando-nos, já na apresentação, como desde criança, sentia uma curiosidade de descobrir como a rotina influenciava a vida das pessoas, em especial, das crianças.
A autora também nos relata, sobre os investimentos a partir do ano de 1970 em creches e pré-escolas, por conta de diversos movimentos sociais da época, no qual  desencadeou  vários projetos para a educação de crianças pequenas ( 0 à 6 anos) envolvendo vários Ministérios e a LBA (Legislação Brasileira de Assistência)
De acordo com a autora é a Lei de Diretrizes e Bases  - LDB que regulamenta o tipo de instituição com a faixa etária das crianças pequenas. Esta padronização define também qual proposta de trabalho será adotada por esta ou por aquela instituição.
Alguns pontos foram abordados neste livro:

  •      O avanço dos Direitos das crianças promulgado pela Constituição de 1988;
  •           Assegurado o direito à   Educação gratuita de 0 à 6 anos.
  •       Atendimento das áreas da saúde e assistência social pela educação
Contribuição das Publicações e pesquisas no campo acadêmico colaborando com a melhoria do atendimento a essa faixa etária.
Ela nos mostra que apesar da  aprovação da Lei,  na contramão existiam políticas que não favoreciam a qualificação da educação infantil, pois os investimentos das verbas públicas  a  secundarizava. (FUNDEB)
Felizmente, hoje, a Educação Infantil já está incluída como parte integrante da Educação Básica, no Brasil, recebendo verbas no citado  Fundo.

A autora cercada de cuidados classifica este estudo como PEDAGOGIA DA EDUCAÇÃO INFANTIL.


O centro teórico é a educação das crianças pequenas que diferem das do ensino fundamental, que se baseiam no ensino e na sala de aula.
Na educação Infantil, essas pedagogias são constituídas de relações educativas crianças>crianças>adultos.
Após esse apanhado histórico, Maria Carmem, nos fala como ela pretendia contribuir para o campo das pesquisas  da pedagogia da educação infantil;
Intenção: provocar questionamentos sobre as rotinas , em especial, as da Educação infantil.

Mas... o que são mesmo Rotinas???

"Rotina é uma categoria pedagógica que os responsáveis pela educação infantil, estruturaram para, a partir dela, desenvolver o trabalho cotidiano, nas instituições que atendem essa faixa etária." E recebe várias denominações: horário, emprego de tempo, plano diário, jornada, etc. (fala da autora)


> Em todos os livros pesquisados sobre creches e pré-escolas aparece " as rotinas".
> tem destaques em livros, fascículos de publicações e formação de professores.

Neste livro ela salienta que há diferenças entre cotidiano e rotina apesar de serem inicialmente usados como sinônimos.

Define-se rotinas como produtos culturais criados com o objetivo de organizar a cotidianidade.

A autora indaga o por que das rotinas? E responde porque sim.
Fato é que são necessárias para estruturarem a organização das instituições e normatizar a subjetividade das crianças e dos adultos que frequentam espaços coletivos.
No caso da educação infantil este papel é cumprido pela rotina pedagógica.
A autora ainda, faz uma abordagem histórica sobre o tema, baseado em fatos antigos do modelo das fábricas, das instituições religiosas etc, o que fez com que se perpetuasse na vida cotidiana das famílias em termos de organizações coletivas.

Elementos que devem ser considerados para a formação das rotinas principalmente na Educação Infantil:

  • A organização do ambiente
  • O uso do tempo
  • A seleção e a proposta das atividades
  • A seleção e a oferta de materiais
A partir daí a autora discorre sobre cada um destes elementos, diz alcançar os objetivos do livro, porém, em virtude disto outras indagações foram formuladas, tais como:qual é a real função das rotinas, quais as possibilidades de flexibilização enquanto ferramenta pedagógica essa flexibilização depende de que ou quem? Questões  que merecem atenção e pesquisa, em especial dos docentes que atuam com as crianças pequenas, para atenderem e melhorarem a aplicação da rotina em sua docência.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão publicados após moderação.
Grata.